[Review] Cooler Master Mastergel Maker – Será essa a pasta térmica dos mestres? – The Overclock Page


Fala pessoal, beleza?

Nesse artigo irei testar a pasta térmica Cooler Master Mastergel Maker, que se trata da pasta térmica topo de linha do referido fabricante, o qual, é oferecida em uma embalagem com seringa de fácil aplicação, contendo 1.5mL do produto.

A Mastergel Maker vem em uma caixa com design bastante sofisticado, onde na frente, é possível ver a seringa de pasta térmica e atrás, uma ilustração que meio que sintetiza a função do produto, além de uma tabela com as suas especificações.

Dos acessórios, acompanham o conjunto um folheto e um sachê com removedor de pasta térmica.

Além da embalagem, é necessário destacar que a seringa adotada pela Cooler Master também é um tanto quanto diferenciada e possui um bico retangular, o que segundo o fabricante, é para facilitar a aplicação do produto.

A Cooler Master diz que a condutividade térmica da Mastergel Maker é de 11 W/mK, o que a coloca entre os compostos térmicos com maior condutividade disponíveis no mercado, em tese, competindo com Prolimatech PK-3 e Thermal Grizzly Hydronaut.

É necessário lembrar que a função da interface térmica é ocupar as micro-ranhuras da base do dissipador/IHS com algo que tenha maior condutividade térmica que o ar, melhorando a troca de calor entre essas superfícies e de quebra, baixando a temperatura da CPU/GPU.

A uso do produto é ridiculamente simples, bastando aplicar a pasta sobre o IHS do processador, apenas tomando cuidado para não errar na quantidade, seja para mais ou para menos. É importante destacar que a Mastergel Maker não é condutiva.

Caso alguém se interesse, aqui está o link para a página do produto no site do fabricante, então, vamos à configuração utilizada e aos resultados obtidos!

Configuração utilizada:

CPU:AMD Ryzen 7 2700X (obrigado AMD!)

MOBO: ASUS TUF X570-Plus Gaming (Obrigado Terabyteshop!)

RAM: 2×8 GB Crucial Ballistix 3200CL16

GPU: ASRock Radeon RX 5700 XT 8 GB

PSU: Seasonic SS-750AM

COOLER: XPG Levante 240 mm (Obrigado XPG!), Thermal Grizzly Carbonaut, IC Graphite, GD900-1, Deepcool Z3, Cooler Master Mastergel Maker

SSD: Sandisk 120 GB

Software: Windows 10 x64, Blender 3.1.2, HWiNFO 7.26.

Objetivo dos testes:

Determinar se a Cooler Master Mastergel Maker consegue entregar bom desempenho, comparando-o com outras alternativas de interface térmica que já foram testadas por aqui. Mais detalhes acerca da metodologia e de como foram conduzidos os testes estão contidos nos textos a seguir.

Resultados:

Para esses testes, foi utilizado o Ryzen 7 2700X @ 4.1GHz 1.3375V LLC 3 e VDDSOC 1.025V com memória configurada em 3200MHz XMP, onde foi utilizado o Blender renderizando o demo “Classroom” por 30 minutos para obtenção dos resultados.

Foram testadas uma passada logo após a aplicação e montagem do cooler e outra no outro dia, após mais alguns ciclos “esquenta-esfria”, intercalando um período de 40 minutos em “idle” e 40 minutos de estresse no AIDA. A ideia disso é verificar se a pasta térmica em questão possui algum tempo de cura, ou seja, se existe alguma diferença de desempenho entre o produto recém-aplicado e após alguns ciclos térmicos.

O gráfico abaixo se refere ao delta T (ΔT), que se trata da diferença entre a temperatura do CPU (no caso) e a ambiente, retirando assim esse ultimo fator da jogada.

No final das contas, a Mastergel Maker acabou ficando na média das outras pastas que já foram testadas por aqui, apresentando um delta de 48,51 °C no pós-aplicação e curiosamente, 49,15 °C após o tempo de cura, o que significa que esse produto não se beneficia de ciclos térmicos adicionais, inclusive com o delta aumentando levemente.

Conclusão:

A Cooler Master Mastergel Maker apresentou desempenho “na média”, com delta de 48,51 °C, em relação as demais pastas térmicas testadas até o momento, não obtendo ganhos de temperatura após alguns ciclos térmicos, vulgo, tempo de cura. Outro ponto positivo é que a Mastergel não é condutiva, dispensando maiores preocupações em caso de acidentes na aplicação.

Sobre o custo de aquisição, ele pode ser encontrado aqui no Brasil por cerca de R$80, o que não é exatamente algo barato, onde o maior problema não é nem o desempenho apresentado, que pode ser considerado satisfatório, mas sim a quantidade do produto que acompanha a seringa, onde é possível encontrar concorrentes que oferecem os mesmos 1,5 mL de pasta térmica e desempenho similar por um valor menor.

Agradecimentos a Cooler Master por ter enviado essa amostra para teste!

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Considere contribuir com o crowdfunding ou doação para ser possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Shopping cart